28.04.2018

CRP11 e CFP assinam nota sobre os retrocessos em curso no campo das políticas sobre drogas


Frente a recente aprovação da nova resolução 01/2018 que, na concepção do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e demais entidades, realinha as políticas sobre Drogas ao  obscurantismo e a distorções da Política de Redução de Danos e da própria Política Nacional sobre Drogas. O Realinhamento proposto foi considerado pelo CFP como um retrocesso na política, em especial o proposto pelo Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad).

Apesar dos esforços do CFP, a proposta de resolução foi aprovada e publicada em 9 de março de 2018. De acordo com o a Comissão de Direitos Humanos do CFP, a aprovação ocorreu de modo atropelado, desrespeitando o direito à fala e ao debate e o próprio regimento do Conad, pois a representação do CFP teve seu pedido de vistas negado, em desacordo com as normas do próprio conselho.

A nova resolução, apresentada pelo ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, tem como eixo a defesa do modelo de abstinência e das comunidades terapêuticas, em detrimento da Política de Redução de Danos e dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), e deixa evidente a articulação dessa medida com as alterações da Política de Saúde Mental proposta pelo coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Quirino Cordeiro.

Desta forma, o Conselho Regional de Psicologia 11ª Região junto ao CFP e demais CRPs espalhados pelo Brasil assinam uma nota posicionando-se em relação a nova resolução sobre a política sobre Drogas.

Confira aqui.

Fonte: Site CFP